Revista Mercado Automotivo

Anuncie

Revista Mercado Automotivo | Edição 239

MATÉRIA DE CAPA - Edição 239: Fevereiro DE 2015
Publicidade

Por Cléa Martins

Embora a máxima de que o ano só começa no País depois do carnaval, alguns executivos e empresas sabem bem que planejamento é vital; assim, em um ano ainda por se desenhar, deve se destacar no mercado quem contar com estratégias e campanhas contínuas de investimento, tanto para o lançamento de produtos como na consolidação de parcerias com os outros elos da reposição

Ninguém revela os números. Mas levantamento do Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores) mostra que 2014 não foi um ano fácil. A retração nas vendas de veículos novos fez muitos fabricantes de autopeças reverem suas estratégias para 2015. Relatório da Pesquisa Conjuntural, elaborado com base nas informações das empresas associadas ao Sindipeças, registrou queda de 12,4% no faturamento real acumulado entre janeiro e novembro de 2014 em relação ao mesmo período do ano anterior. Na reposição não foi diferente. As vendas (em R$) do segmento no mesmo período caíram 3,4%.

Apesar da queda conjunta, algumas empresas afirmam ter crescido na reposição no ano passado. Além disso, o aftermarket deve ganhar maior participação dentro da indústria produtora de autopeças. Subindo de 16,3% no ano passado para 16,7% agora em 2015. Mas garantir um lugar ao sol neste disputado mercado não é tarefa fácil e os executivos do setor sabem – a reposição tem suas peculiaridades e exige atenção. “Cada elo tem suas particularidades, desde a indústria até o aplicador, mas nada que não seja resolvido com foco e determinação. A Sabó vive e respira aftermarket, temos projetos exclusivos para esse mercado, com o qual procuramos aprender diariamente”, diz Marcus Vinicius, diretor de Aftermarket da empresa.

Para o executivo, apesar dos problemas, o mercado de reposição tem à sua disposição uma frota demandante maior e isso, por si só, já representa mais oportunidades. Silvio Alencar, diretor Comercial das Américas do Sul e Central da Dayco/Nytron, concorda: “Entendemos que 2015 não será um ano de grande crescimento do PIB (Produto Interno Bruto). Contudo, a frota é significativa e precisará de manutenção. Portanto, esperamos crescer como nos anos anteriores, oferecendo um produto original, confiável e um excelente serviço aos nossos parceiros”.

Alencar ressalta ainda que o setor de reposição automotiva no Brasil é bastante forte e organizado. E isso, aliado às características predominantemente rodoviárias do País e a sua extensão territorial, ajuda no desenvolvimento do mercado: “Nas últimas décadas houve uma grande evolução de toda a cadeia automotiva no tocante a novas tecnologias de produção e serviços”.

E é sob esse ângulo mais otimista, baseado, sobretudo, no aumento da frota dos últimos anos, que o setor segue. Mas não indiferente à necessidade de que, se o mercado é o mesmo para todos, são as ações de cada um que farão a diferença na hora da escolha da peça.

Para Sérgio Montagnoli, diretor de Vendas e Marketing da Affinia, o mercado no Brasil tem boas perspectivas, contudo, é necessário manter o investimento em desenvolvimento de produtos e serviços aos diferentes elos da cadeia, com foco no conceito ‘Peça Certa’, que engloba não só a correta disponibilidade da informação relacionada à aplicação das peças e dados técnicos, mas também sua disponibilidade, e à formação do profissional da cadeia, aquele que vende a peça e a aplica corretamente. “É por essa estrada que estamos correndo e nela que estamos investindo nossos esforços em marketing”.

Na Bosch, diz Carlos Alberto Barbosa, diretor da divisão Automotive Aftermarket da empresa, o foco está nas necessidades do cliente final – as oficinas: “Continuaremos com a clara missão de sermos o parceiro com a solução completa de parts, bytes and services, expandindo o número de oficinas em nossos conceitos de relacionamento e fidelização”. Barbosa ressalta que, para que este trabalho funcione, a empresa promove ainda a integração dos parceiros, distribuidores e varejistas na missão e na busca de eficiência e agilidade do atendimento.

Segundo ele, uma estratégia robusta, focada nas medidas tomadas nos últimos anos, tais como a melhoria da eficiência logística, o desenvolvimento positivo dos programas de geração de demanda na cadeia de distribuição e a melhoria também do gerenciamento do port­fólio de produtos e dos canais de distribuição, além de investimentos contínuos, foram importantes para que a companhia colhesse frutos positivos em 2014. “Para 2015, estamos atentos ao cenário e à previsão econômica do País, que ditarão o desenvolvimento das vendas. Considerando o período de ajuste, que se faz necessário, esperamos que, no mínimo, alcancemos o crescimento de 5% estimado para o mercado de reposição, baseado no desenvolvimento da frota brasileira”, explica.

No que depender do lançamento de produtos, um dos principais focos da empresa para o próximo ano, a Bosch deve seguir a mesma receita do ano anterior, quando foram lançados 248 itens de 16 linhas, com destaque para sistemas de gasolina, elétrica, palhetas e filtros, além do portfólio para o mercado de duas rodas (buzinas, fluido, baterias e velas de ignição). “Este será um dos principais focos para o ano de 2015. Esses lançamentos foram responsáveis por 30% do crescimento no faturamento entre os anos de 2014 e 2013, demonstrando a importância que o tema possui para a Bosch em se manter atualizada e aderente às necessidades mercadológicas”.

O investimento na renovação do portfólio, aliás, é mandatório também para as outras empresas entrevistadas. Na Affinia, por exemplo, empresa 100% focada no aftermarket, a ampliação da gama de produtos para os sistemas à suspensão deve ser uma das novidades da empresa neste ano. “A cada ano aumenta ainda mais a diversidade de veículos que entram para o mercado de reposição e a complementaridade da linha é crucial para o negócio. Para oferecer um pacote mais completo aos nossos clientes, sob a segurança de qualidade e serviços da marca Nakata, investimos na ampliação do portfólio ligado à linha de suspensão e no ‘em volta da roda’ – já diversificamos o portfólio de amortecedores, barramentos, freios e juntas homocinéticas. E, agora ampliamos este programa lançando: cubos de roda, kits de amortecedores e bandejas”, conta o diretor da empresa.

Segundo ele, apesar das dificuldades de mercado, 2014 foi um ano bom para a companhia, que obteve crescimento em 2013 muito acima da média informada pelo Sindipeças e espera manter esse mesmo ritmo neste ano. “Para isso, completamos nossa estratégia por meio de maior divulgação, em especial da marca Nakata, buscando o favorecimento de toda a cadeia de distribuição e também do consumidor final”.

Marketing e relacionamento

Continui?dade também parece ser a palavra que vai reger as ações de marketing das empresas neste ano. Na Bosch, a campanha “Com Bosch você se garante”, lançada no ano passado, deve se estender em 2015, mas com o enfoque no produto: “Com velas Bosch você se garante”. O objetivo, segundo o dirigente da empresa, é destacar a relação de confiança e parceria da empresa junto aos mecânicos, varejistas, distribuidores de autopeças e clientes finais. No ano passado, 13 profissionais que integram o mercado de reposição automotiva contaram, espontaneamente, como a Bosch está inserida em suas trajetórias de vida. Os relatos podem ser vistos no site www.minhavidacombosch.com.br.

Na Affinia, as ações de divulgação e experiência de suas marcas se mantêm tanto para o profissional do canal, com programas de incentivos de vendas e aprimoramento técnico, como para o cliente final, com veiculação de propagandas em programas esportivos de rádio, televisão e redes sociais.

De novidade, diz Montagnoli, vem aí o novo site da marca Nakata, embarcando também o novo catálogo eletrônico da empresa. “No conceito ‘Peça Certa’, além do novo catálogo, o novo site será a plataforma de relacionamento, desenvolvendo ações e propagando boas práticas, que contribuam para melhor formação profissional, auxiliem no sucesso dos negócios e suportem não só programas de treinamento, mas também novas interações demandadas pelos agentes de mercado e usuários das marcas da Affinia.

Automec

Deve ser mesmo verdade que é em épocas mais difíceis que as empresas precisam ser ousadas para fazer a diferença. Isso explicaria a presença de mais de 1.200 marcas já confirmadas na edição deste ano do evento, que acontece de 7 a 11 de abril, no Anhembi, em São Paulo. Considerada cara por muitos empresários, a maior feira do setor da América Latina também está nos budgets das empresas entrevistadas.

Rubens Campos, vice-presidente sênior da divisão de Aftermarket Automotivo da Schaeffler América do Sul, conta que a Automec é de extrema importância para todo o setor de autopeças: “Para a Schaeffler, a feira traz a oportunidade de contato direto com toda a cadeia de reposição da América do Sul – atacado, varejo, aplicadores, frotistas etc. Dessa forma, podemos mostrar aos visitantes nossa ampla gama de produtos e serviços, com soluções inovadoras e tecnologias. Tudo com a qualidade de uma empresa que é original de fábrica e fornecedora para as maiores montadoras de veículos do mundo”.

No evento, além dos produtos já fornecidos ao aftermarket, a companhia irá expor as novas tecnologias de suas três marcas, como o DCT (embreagem dupla), VCP (variador da fase do eixo de comando), RIU (solução de reparo para cubos de roda) e as novas soluções para reparo de transmissão, como o GearBox.

No Brasil desde 1958, a Schaeffler desenvolve de produtos para o setor automotivo, como soluções para motores, transmissão e chassi, até componentes para a indústria pesada, agrícola, ferroviária, de produtos de consumo e para o segmento aeroespacial. Presente em mais de 170 localidades no mundo, a companhia conta com cerca de 80 mil colaboradores e um faturamento que atingiu mais de 11,2 bilhões de euros em 2013. “Estamos sempre em busca da melhoria contínua para atender os clientes com produtos e serviços da melhor qualidade e, por isso, não paramos de investir para atingir tais objetivos. Assim, nossa meta é incrementar constantemente nossa linha de produtos a fim de atender as necessidades e promover a satisfação dos clientes”, afirma Campos.

A Bosch, além de expositora, também é uma das patrocinadoras oficiais do evento neste ano. “Estamos seguros que esta é a principal feira de autopeças do País e uma importante plataforma de relacionamento com o mercado de reposição automotiva. A participação da Bosch tem como objetivo fortalecer o relacionamento com seus clientes e público e apresentar sua tecnologia com um amplo portfólio de peças, equipamentos e serviços oferecidos pela empresa para gerar novos negócios ao longo do ano. Além disso, essa é uma excelente oportunidade para consolidarmos a posição de parceiro estratégico dos nossos clientes (distribuidores, varejistas e oficinas mecânicas) na oferta de soluções inovadoras e de qualidade para as principais tendências do segmento”, afirma Barbosa.

Montagnoli, que diz ainda não ter o valor fechado do investimento, conta que a empresa estará presente no evento porque acredita que a feira permite apresentar as novidades para o setor e estreitar o relacionamento com lojistas e reparadores: “A proposta é levar informação técnica aos visitantes e apresentar lançamentos, num estande que reforça o contato com o público e, por isso, inteiramente aberto. Também divulgaremos uma campanha nacional, que ainda está em fase de planejamento, mas que deve proporcionar aos visitantes sorteados uma experiência única, ligada à corrida de carros”.

A Dayco é outra empresa que também já confirmou presença na Automec. “É uma grande vitrine para toda a cadeia do segmento automotivo e nos permite manter contato com um grande número de agentes do setor em um curto espaço de tempo. Sem dúvida, é a oportunidade que temos de informar as novidades da empresa e seus produtos, bem como estreitar o relacionamento com os parceiros e firmar estratégias. É um grande benefício. Nesta edição apresentaremos os novos itens que complementarão a linha Heavy Duty, os atuadores hidráulicos e os dampers”, diz o representante da Dayco/Nytron.

Ainda segundo Alencar, o ano de 2014 sem dúvida foi muito atípico, contudo, a empresa cresceu em relação ao ano anterior. Para 2015, afirma: “Apesar das dúvidas em relação à economia, existe uma frota grande que precisará de manutenção, portanto, apostamos em novo crescimento”.

A brasileira Sabó, uma das líderes mundiais no desenvolvimento de soluções em vedação e condução para a indústria automobilística, que exporta seus produtos para mais de 40 países, também vai estar na Automec. Marcus Vinicius diz que vai levar ao estande da companhia toda a equipe – comercial, marketing, engenharia, consultores técnicos, promotores e representantes – para fortalecer ainda mais o relacionamento com todos os elos da cadeia do aftermarket.

No evento a Sabó deverá evidenciar programas que mantém para todos os elos da cadeia, assim como os treinamentos, a capacitação de gestão e as ações promocionais. “São projetos consolidados através dos quais promovemos melhorias contínuas e nos quais investimos cada vez mais, ano a ano, para atender mais regiões do Brasil e do Mercosul”.

Além da Automec, as empresas entrevistadas ainda destacaram presença na Autonor 2015 (Feira de Tecnologia Automotiva do Nordeste), que acontecerá em Recife (PE), de 16 a 19 de setembro, em estande próprio ou cooperado com clientes. A Dayco, além disso, já confirmou presença na Automotriz Expopartes, na Colômbia.

Seja qual for a ação e estratégia da empresa que busca sucesso no aftermarket neste ano, a regra parece clara: é preciso ter produtos e programas que fortaleçam as parcerias dentro do canal, com ações educativas ou comerciais. E que venha 2015!

Design: Agência Bcicleta
Sistema: alc propaganda - criação de sites

Telefone: (011) 2639-1462 / 2639-1082
editora@photon.com.br