Anuncie

Revista Mercado Automotivo | Edição 264

Edição 264: Agosto DE 2017
Publicidade

Por Jerônimo Mendes

O Brasil está prestes a atingir a indesejada marca de 10 milhões de desempregados, entretanto, muitas empresas ainda apresentam dificuldades na hora de contratar os profissionais mais adequados para o seu negócio e o que mais se ouve dos executivos de RH ou dos empresários é o seguinte: não conseguimos encontrar gente qualificada.

Eu sempre devolvo a pergunta com relativo espanto: com toda essa mão-de-obra disponível no mercado, será que não existe ninguém capaz de substituir a pessoa que você perdeu ou procura para recompor a sua equipe?

Toda semana, eu mesmo recebo currículos de diferentes pessoas e áreas do meu círculo de relacionamentos e posso afirmar que o mercado dispõe de excelentes profissionais, mas a questão ainda persiste: se existem opções, por que algumas empresas não encontram o profissional que tanto desejam?

Profissionais de RH e empresários sabem que Gerente de Vendas é um cargo muito disputado no mercado e, portanto, potenciais candidatos devem reunir habilidades e competências específicas que vão além da simples formação educacional e da experiência profissional.

O mais intrigante de tudo é que, na maioria dos casos, os profissionais contratados reúnem quase todas as características e habilidades inicialmente previstas para o cargo e, na medida em que são testados, os resultados não aparecem. Qual a razão para isso?

A maioria das empresas de pequeno e médio portes que conheço, por não disporem de técnicas e ferramentas específicas de análise, acaba contratando profissionais por indicação. Na prática, o processo de seleção bem elaborado leva tempo e pode custar caro, portanto, nem todas as empresas estão dispostas a esperar ou investir.

Em alguns casos pode dar certo, porém a contratação de um Gerente de Vendas não deve depender apenas da indicação. Quem não quer ajudar um conhecido, amigo ou parente a se recolocar no mercado de trabalho mesmo não tendo uma boa ideia do seu desempenho profissional?

Em relação ao cargo de Gerente de Vendas, a contratação deve estar embasada em três pilares distintos:

FORMAÇÃO EDUCACIONAL (CONHECIMENTO TÉCNICO)
Uma boa formação ajuda muito, gera credibilidade e respeito perante a equipe. E não adianta vir com aquele velho papo de que bom gerente e vendedor não precisam de curso superior porque esse discurso está ultrapassado.

Gerente de Vendas é uma coisa, Vendedor é outra. Quanto maior o nível de conhecimento para lidar com estratégias, pessoas, processos e sistemas, melhor o desempenho no cargo. São cargos distintos, portanto, requerem competências distintas.

EXPERIÊNCIA / HABILIDADES
Se o candidato já vivenciou algo parecido, ainda que num segmento diferente, o diferencial é nítido. Significa dizer que conhece as técnicas de mercado, sabe como orientar uma boa prospecção, elaborar uma política de vendas, estruturar e desenvolver uma equipe e fortalecer um pós-venda. Os resultados anteriores contam muito na análise do candidato.

Habilidades são decorrentes da prática de uma atividade, portanto, se o profissional trabalhava anteriormente com contabilidade ou recursos humanos, por exemplo, e não estava acostumado ao processo de vendas, terá dificuldade para se adaptar ao cargo e levará mais tempo do que a empresa está disposta a esperar para a obtenção de resultados.

ATITUDES
Formação educacional e experiência costumam ser avaliadas de maneira rápida e superficial no próprio currículo do candidato e por meio de entrevistas, mas a atitude é sempre uma incógnita.

Em geral, por mais que você realize análise de perfil, dinâmicas de grupo, entrevistas etc. e consiga observar algumas atitudes durante o processo de admissão ou mesmo no período de experiência, somente o tempo será capaz de dizer se o candidato é uma pessoa de atitude ou não.

São as atitudes demonstradas todos os dias, de maneira ininterrupta, por meio de tomada de decisões, iniciativas, comportamentos éticos, posturas firmes e riscos calculados que fazem do simples candidato o profissional mais adequado para a empresa.

A questão fundamental é: de quanto tempo sua empresa precisa para saber se o novo Gerente de Vendas tem o perfil mais adequado para o cargo? Três meses? Seis? Um ano? Dois?

Não importa. Na maioria das vezes, o problema não está no fato de se contratar o profissional errado, mas na demora em admitir o erro e corrigir o problema, o que aumenta o sofrimento dos dois lados.

É necessário lembrar que o crescimento e a sobrevivência de uma empresa estão relacionados a diversos fatores críticos de sucesso: modelo de negócio consistente, forte cultura organizacional, estilos de liderança bem definidos, modelo de gestão orientado para resultados, mas colocar isso em prática depende de profissionais altamente comprometidos com o negócio. Em Vendas, a preocupação aumenta.

Fácil? Claro que não! Qualquer pessoa pode cursar uma boa universidade e sair de lá com um diploma para acessar o mercado de trabalho. Na Área de Vendas, penso que o diploma é importante, mas as atitudes, a paixão pelos desafios e a resiliência são fundamentais.

Jerônimo Mendes é administrador, coach, escritor, professor e palestrante com mais de 35 anos de experiência profissional em empresas de médio e grande portes, especialista em Empreendedorismo, Coaching, Gestão de Carreira e Negócios.

Design: Agência Bcicleta
Sistema: alc propaganda - criação de sites

Telefone: (011) 2639-1462 / 2639-1082
editora@photon.com.br