Anuncie

Revista Mercado Automotivo | Edição 262

Edição 262: Junho DE 2017
Publicidade

Por Redação

Profissionalizar toda a gestão de uma empresa ou manter sua estrutura familiar? Expandir a atuação para outras regiões do país ou focar os negócios nos locais em que a companhia teve origem? Essas dúvidas são apenas algumas entre as que frequentemente causam verdadeira dor de cabeça entre os executivos de diversos setores produtivos do Brasil. Nesta entrevista à revista Mercado Automotivo, Carlos Eduardo Monteiro Almeida, diretor-presidente da Auto Norte, uma das maiores distribuidoras automotivas do país, discorre sobre todos esses assuntos. Conhecido como Cacai, o executivo prega a ponderação para chegar às respostas das dúvidas acerca de gestão e logística.

Revista Mercado Automotivo – Gostaria que falasse sobre a profissionalização da estrutura organizacional da Auto Norte. Como esse processo foi importante para a empresa?
Cacai – A Auto Norte segue como uma empresa familiar e entendemos a importância e os benefícios que são agregados diariamente ao negócio por meio dessa estrutura. No entanto, o que temos buscado constantemente é profissionalizar cada setor da empresa com o objetivo de adquirir um conhecimento ainda mais amplo, diversificado e dinâmico para a atuação da empresa.
Essa profissionalização dos setores ocorre a partir de treinamentos, do trabalho realizado por consultorias e também pela contratação, quando necessário, de novos profissionais mais qualificados.

RMA – O senhor considera que ainda existe certo preconceito no setor de reposição automotiva em relação à profissionalização da estrutura organizacional? Por quê?
Cacai – Acredito que sim, especialmente porque, muitas vezes, o que se propõe às empresas de estrutura familiar é uma mudança radical, que rompe com todas as suas origens. As empresas que aderem a esse tipo de procedimento acabam perdendo todas as suas características de essência.
Ciente disso, a Auto Norte sempre buscou realizar essa profissionalização de forma gradual, agindo por setores da empresa. Profissionalizamos, mas não perdemos a essência da Auto Norte.

RMA – A Auto Norte tem se preocupado nos últimos anos em criar uma cultura de empresa junto aos funcionários, fazendo com que estes percebam que a empresa também pertence a eles. Qual a importância dessa estratégia para o fortalecimento da Auto Norte?
Cacai – Essa estratégia está muito relacionada à própria origem da empresa. A Auto Norte, desde seu nascimento, surgiu com a proposta de que cada um aqui é parte integrante da empresa. Isso traz resultados positivos e gera histórias das quais nos orgulhamos bastante com o passar do tempo. Temos funcionários com mais de 30 anos de trabalho na empresa e outros que se aposentaram aqui. Isso para nós é muito importante e buscamos valorizar essa estratégia, essa cultura de empresa com os funcionários.

RMA – Mesmo diante do crescimento dos negócios on-line e das redes sociais, a Auto Norte ainda entende ser importante manter o corpo a corpo junto aos clientes e fornecedores? Por quê?
Cacai – É claro que a Auto Norte está atenta aos negócios realizados pela internet e também ao crescimento das redes sociais nas empresas, em diversos setores. No entanto, é essencial compreender que nada disso tira o fator “cara a cara” das vendas presenciais. O brilho dos olhos que se percebe quando realizamos vendas desse tipo. As ferramentas digitais, os negócios on-line e até as redes sociais vêm para complementar esse tipo de atuação. Mas uma coisa não exclui a outra.

RMA – O senhor considera que a crise brasileira já atravessou seu pior momento? É possível dizer que já passamos pelo pior?
Cacai – Aqui na Auto Norte acredito que somos otimistas por essência. O pensamento é de faturar, independentemente da crise e de como ela aparece, seja aqui seja nas outras regiões do Brasil. No entanto, é difícil analisar se o pior da crise já passou, pois a cada dia temos a impressão de que algo aparece e puxa para baixo o país. Ainda assim, seguimos no otimismo e confiantes no nosso trabalho para reverter esse cenário de dificuldades.

RMA – Muitas vezes, quem tem sua atuação concentrada na região Sudeste, por exemplo, tem determinada percepção em relação ao tamanho da crise na economia brasileira. Qual a percepção da Auto Norte em relação aos efeitos da crise no Nordeste do Brasil? É possível dizer que a crise foi um pouco mais forte ou um pouco mais fraca na região?
Cacai – Historicamente, o Nordeste sempre foi uma região sofrida no Brasil, prejudicada sensivelmente pela concentração de riquezas e investimentos nas regiões Sul e Sudeste do país. A questão é que o nordestino, em sua essência, é um povo batalhador, que não tem tempo para ficar se lamentando, chorando. Nós sempre iremos à luta para reverter qualquer dificuldade que se apresente aqui.

RMA – Como a Auto Norte avalia suas entregas? É possível diminuir o tempo de entrega ou a empresa tem focado em outras demandas logísticas?
Cacai – A Auto Norte avalia de forma muito positiva suas entregas, mas entendemos que essa é uma luta constante. Um desafio que sempre estará presente em nosso negócio. Afinal, é preciso considerar que não basta apenas entregar o que é solicitado. É preciso focar também na qualidade dos serviços que são prestados ao cliente. Trata-se de um esforço contínuo e a Auto Norte leva muito a sério a questão das entregas e da qualidade dos serviços que presta.

RMA – Qual a importância da Auto Norte Express para a empresa? Como funciona esse sistema e quais são suas principais vantagens para o cliente e também para a Auto Norte?
Cacai – A Auto Norte Express é mais uma das ferramentas que desenvolvemos com o objetivo de diferenciar e qualificar nossa entrega. E hoje podemos dizer, com muito orgulho, que nossa entrega é diferenciada. Isso nos permite fidelizar cada vez mais nossos clientes e faz com que as mercadorias cheguem ao seu destino em um curto espaço de tempo. Isso tudo é essencial para que a gente consiga atender as demandas e as necessidades de cada cliente.

RMA – O que o senhor busca passar para seus filhos em relação à atuação na empresa? Quais são os valores e conceitos que busca transmitir para eles?
Cacai – Hoje já não tenho muito a passar. É preciso levar em consideração que meus filhos já estão há bastante tempo na empresa e, com isso, já adquiriram a alma e o profissionalismo característicos da Auto Norte. Este é um momento em que aprendemos juntos e certamente todos temos muito conhecimento para compartilhar entre nós, sempre trabalhando de forma conjunta.

RMA – A Auto Norte pensa em expandir seus negócios para outros Estados do Nordeste? E para outras regiões do País?
Cacai – Neste momento, temos planos em andamento para a abertura de uma nova filial. No entanto, estamos cientes de que sempre iremos concentrar nosso foco em nossa região de origem. É sempre um desafio chegar a novas regiões do país, mas entendemos que essa expansão deve ser sempre feita com responsabilidade e precisão, sem esquecer do local em que tudo nasceu e os valores que estão agregados à origem do nosso negócio.

RMA – Quais são os planos e expectativas da Auto Norte para os próximos cinco anos de atuação no setor automotivo?
Cacai – Com certeza os próximos anos no setor automotivo (e no Brasil, como um todo) serão novamente de muita luta e também de crescimento. É preciso recuperar o atraso destes últimos anos afetados pela crise econômica de uma forma geral e isso só será obtido com muito esforço e luta de todos os envolvidos. A Auto Norte certamente seguirá batalhando para fortalecer seus negócios.

Design: Agência Bcicleta
Sistema: alc propaganda - criação de sites

Telefone: (011) 2639-1462 / 2639-1082
editora@photon.com.br